As mortes + absurdas

1. Por abraçar o reflexo da lua.

O poeta chinês Li Po é considerado um dos dois maiores da história literária chinesa. Era muito conhecido por ser um bebedor inveterado e sabe-se que escreveu muitos de seus grandes poemas enquanto estava bêbado. E “bebaço” estava à noite em que caiu de seu barco se afogou no rio Yangt-ze ao tentar abraçar o reflexo da lua na água. Hans Steininger

2. Pela barba.

O austríaco Hans Steininger ficou famoso por ter a barba mais longa do mundo (de quase um metro e meio) e por morrer por causa dela. Num dia de 1567 teve um incêndio em sua cidade e na fuga Hans esqueceu-se de enrolar sua barba, pisou sobre ela, perdeu o equilíbrio, tropeçou e quebrou o pescoço. Tycho BraheTycho BrahTycho Brahe


3. Por segurar o xixi.

O nobre e astrônomo dinamarquês Tycho Brahe era um personagem interessante. Tinha um alce treinado como animal de estimação e também perdeu a ponta de seu nariz num duelo com outro nobre dinamarquês e teve que usar um nariz falso feito de prata e ouro, mas essa é outra história. Diz-se que Tycho teve que segurar a vontade de ir ao banheiro durante um banquete particularmente extenso em 1601 (levantar-se no meio de um jantar era considerado como algo realmente ofensivo), a tal ponto que sua bexiga, levada ao limite, desenvolveu uma infecção pela qual morreu. Análises posteriores sugeriram que Tycho morreu em realidade por envenenamento com mercúrio, mas essa conclusão não é tão interessante como a história original. Jean Baptiste LullyJean Baptiste Lully

Jean Baptiste Lully

4. Pela batuta de orquestra.

Enquanto conduzia uma sinfônica para o rei francês Luis XIV em 1687, Jean Baptiste Lully estava tão concentrado em manter o ritmo golpeando um pedaço de pau contra o chão (esse era o método habitual antes de que começassem a usar a batuta) que esmagou o dedão do pé mas se negou a parar. A ferida virou uma gangrena, mas o teimoso Lully negou-se a amputá-lo. A gangrena espalhou-se e o maestro turrão finalmente morreu. Irônicamente, o hino que conduzia era em celebração da recuperação de Luis XIV de uma doença. Adolfo Federico da Suécia

5. Pela sobremesa.

O rei Adolfo Federico da Suécia amava comer e morreu por isso. Conhecido como “O rei que comeu até morrer”, faleceu em 1771 com 61 anos por causa de um problema digestivo depois de comer, literalmente, “mais que a barriga”. O jantar do comilão era composto de lagosta, caviar, chucrute, sopa de repolho, cervo defumado, champanhe e catorze pudins de leite recheados com amendôas, seu doce preferido. Clement Vallandigham

6. Por demonstração ao júri.

Após a guerra civil norte-americana, o controvertido político Clement Vallandigham, de Ohio, transformou-se num advogado de sucesso que raras vezes perdia um caso. Em 1871 defendeu Thomas McGehan, acusado de disparar contra um tal Tom Myers durante uma disputa num bar. A defesa de Vallandigham baseava-se em que Myers tinha disparado contra ele mesmo ao empunhar sua pistola quando estava ajoelhado. Para convencer ao júri, Vallandigham decidiu demonstrar sua teoria. Infelizmente, utilizou por engano uma pistola carregada e terminou disparando contra ele mesmo comprovando a teoria do disparo acidental e conseguindo exonerar seu cliente. Allan Pinkerton

7. Por morder a língua.

Allan Pinkerton, famoso por criar a agência de detetives que levava seu nome, morreu de uma infecção após morder a própria língua quando escorregou na rua. Jack Daniel

8. Pelo polegar.

O famoso destilador de whisky Jack Daniel decidiu ir trabalhar mais cedo numa manhã de 1911. Quis abrir seu cofre mas não recordava a combinação. Enfurecido, Daniel esmurrou o cofre e quebrou o dedão que infeccionou causando a sua morte. Bobby Leach

9. Por casca de laranja.

Bobby Leach não temia desafiar a morte: em 1911 foi a segunda pessoa no mundo em sobreviver a uma queda dentro de um barril nas cataratas do Niágara. Realizou muitas proezas desse tipo, pelo qual sua morte é especialmente irônica. Caminhando por uma rua da Nova Zelândia, Leach escorregou num pedaço de casca de laranja. Quebrou a perna que teve que ser amputada. Morreu devido a complicações na cirurgia. Franz Reichelt

10. Por falha do paraquedas.

Em 1911, o alfaiate francês Franz Reichelt decidiu provar sua invenção, uma combinação de um sobretudo com paraquedas, saltando da Torre Eiffel. Ele disse às autoridades que utilizaria um boneco, mas no último minuto decidiu ele mesmo provar. Seu invento não funcionou. Grigori Rasputin

11. Por envenenamento, ferida de balas(4), pauladas e afogamento.

De acordo com a lenda, o místico russo Grigori Rasputin (1869-1916) foi primeiramente envenenado com suficiente cianureto para matar dez homens, mas isso não o afetou. Então seus assassinos dispararam-lhe pelas costas. Rasputin reviveu pouco depois. Atiraram nele em mais três ocasiões, mas Rasputin seguia vivo. Assim então moeram o teimoso a base de pauladas, e por via das dúvidas atiraram o corpo nas águas geladas do rio Neva. Ray Chapman

12. Por beisebol.

Ray Chapman, jogador do Cleveland Indians, foi assassinado por uma bola de beisebol. Naquela época, os lançadores costumavam sujar a bolinha antes de lançá-la para que ficasse mais difícil de ver. Em 6 de agosto de 1920 num jogo contra o New York Yankees, Carl Mays, lançador dos Yankees, lançou uma pelota suja contra Chapman, que não a viu e recebeu o golpe fatal bem no meio da testa. Isadora Duncan

13. Pelo cachecol.

A mãe da dança moderna, Isadora Duncan, morreu por causa de um cachecol que ela adorava usar. O obituário no New York Times em 15 de setembro de 1927: “O automóvel estava à toda velocidade quando o cachecol de seda enganchou-se na roda e arrastou com terrível força à senhorita Duncan, atirando a com violência contra a rua. Foi arrastada durante vários metros até que o condutor se deteve, por causa dos gritos que vinham da rua. Reclamou-se ajuda médica, mas ficou provado que havia sido estrangulada e morreu instantaneamente”. Collyer brothers

14. Por lixo.

Homer e Langley Collyer eram arquivistas compulsivos. Os dois irmãos tinham medo de desfazer-se de qualquer coisa, e colecionaram obsessivamente diários e outros lixos em sua casa. Inclusive prepararam armadilhas nos corredores e portas para proteger-se dos intrusos. Em 1947, um telefonema anônimo denunciou que tinha uma pessoa morta na casa dos irmãos, e após enfrentar grande dificuldades para entrar, a polícia encontrou o corpo de Homer Collyer. Duas semanas mais tarde, após a retirada de cerca de 100 toneladas de lixo, finalmente encontraram o corpo de Langley Collyer parcialmente decomposto, a alguns poucos metros além de onde tinham encontrado seu irmão. Aparentemente, Langley estado tentando levar comida para Homer engatinhando sobre os túneis entre pilhas de diários quando disparou uma de suas armadilhas. Dias depois, Homer morreu de fome. Jerome Irving Rodale

15. Numa entrevista.

Jerome Irving Rodale foi um pioneiro da alimentação natural, um temporão propulsor da agricultura sustentável e das fazendas orgânicas. Após assegurar que poderia viver até os 100 anos, a não ser que fosse atropelado por um carro, Rodale morreu por causa de um ataque do coração enquanto era entrevistado no Dick Cavett Show em 1971. Parecia dormindo, e Cavett caçoou:
– “Estamos lhe aborrecendo Sr. Rodale?” – Antes de descobrir que seu convidado de 72 anos estava efetivamente morto. O programa nunca foi ao ar. Christine Chubbuck

16. Por suicídio durante um tele-jornal ao vivo.

Christine Chubbuck foi a primeira e única apresentadora de noticiário a suicidar-se durante um programa ao vivo. Em 15 de julho de 1974, aos oito minutos de programa, a deprimida repórter disse:
– “Para manter a política do canal 40 de trazer-lhes o último em matéria de sangue e violência, ao vivo e a cores, aqui têm outra primícia: uma tentativa de suicídio”. – E a seguir, Chubbuck sacou um revólver e disparou contra a própria cabeça. Elvis Presley

17. No banheiro.

Há muitos exemplos de mortes no banheiro, mas a de Elvis Presley (1935-1977) é a mais famosa. O rei do rock foi encontrado jogado no piso do banheiro de sua mansão de Graceland após ter vomitado quando estava sentado no vaso. Os médicos atribuíram sua morte a um ataque ao coração causado por seu sobrepeso e por seu vício a alguns remédios de uso controlado. Robô

18. Por robô.

Robert Williams foi o primeiro homem assassinado por um robô. Aconteceu em 25 de janeiro de 1979, na fábrica da Ford de Flat Rock. Williams subiu em uma linha de montagem para devolver uma peça ao seu lugar, porque o robô que as manipulava estava com problemas. Mas reativou-se subitamente, e golpeou-o com seu braço metálico, matando-o instantaneamente. Guarda-chuvas gigantes

19. Por guarda-chuvas.

Em 1991, os artistas Christo e Jean Claude construíram uma instalação artística ambiental de centenas de gigantescos guarda-chuvas azuis e amarelos na Califórnia e Japão. Os guarda-chuvas gigantes, que mediam cerca de 6 metros de altura e 9 de diâmetro, transformaram se numa grande atração turística. Menos de dois meses após que as instalações foram abertas ao público, uma mulher de 33 anos chamada Lori Rae Keevil Mathews viajou para ver a atração na Califórnia quando uma rajada de vento arrancou um dos guarda-chuvas, que voou diretamente para ela. Christo imediatamente ordenou que desmontassem todas as instalações que ainda levaram outra vida, desta vez no Japão. O operador de gruas Masaki Nakamura morreu eletrocutado quando sua máquina tocou um cabo de alta tensão de 65 kilovolts enquanto desmontava os guarda-chuvas tal como Christo tinha ordenado. Vic Morrow

20. Por decapitação de hélices de helicóptero.

O ator Vic Morrow morreu no set das filmagens de Dimensão Desconhecida quando um helicóptero ficou fora de controle por umas explosões dos efeitos especiais, chocou-se, e decapitou o ator com suas hélices. Dois meninos atores também morreram no evento, o que propiciou uma série de mudanças em massa dentro das leis trabalhistas de menores e de regulamentações sobre segurança nos estudos cinematográficos nos Estados Unidos. Cactos

21. Por cactos.

Em 1982, um jovem de 27 anos chamado David Grundman e seu colega de quarto decidiram ir para o deserto cortar cactos a base de disparos. O primeiro foi um cactos pequeno, que caiu ao primeiro disparo. Feliz da vida com seu sucesso, a seguinte presa de Grundman foi um enorme cactus de 7 metros de altura, provavelmente com mais de 100 anos de idade. O disparo tirou-lhe uma grande lasca, e o cactos caiu sobre David matando-o. Tennessee Williams

22. Por tampinha de garrafa.

O dramaturgo norte-americano Tennessee Williams morreu em 1983 depois de afogar-se com a tampinha de uma garrafa de cerveja. Williams tinha bebido um pouquinho. Salva-vidas

23. Por afogamento numa festa de salva-vidas.

Em 1985, para celebrar seu primeiro ano sem ter que lamentar nenhum afogado, os salva-vidas do departamento de recreação de Nova Orleans decidiram fazer uma festa. Quando a festa terminou, um convidado de 31 anos chamado Jerome Moody foi encontrado morto no fundo da piscina do clube. Dick Shawn

24. Contando uma piada.

Dick Shawn (1924-1987) foi um comediante que teve um ataque do coração e morreu durante uma brincadeira que pareceu estranhamente apropriada: estava caçoando dos políticos que em sua campanha diziam clichês como:
– “Nunca jamais vou dormir em meu cargo”. – Quando então Shawn caiu de bruços. No começo, o público gargalhou pensando que isso era parte do show, até que em determinado momento um empregado do teatro subiu ao palco, constatou seu pulso e começou a lhe dar os primeiros socorros. Chegaram os paramédicos, e pediram ao público que fossem para casa: Dick não terminou a piada. Mal

25. Por uma barrigada.

O lutador profissional Mal “King Kong” Kirk morreu pela enorme barriga de seu colega Shirley “Big Daddy” Crabtree. Em agosto de 1987, nos momentos finais da luta entre ambos, Crabtree usou seu golpe característico, conhecido como “zambullida de panza”, algo como o mergulho de barriga. Kirk teve um ataque do coração e morreu sobre o ringue. Crabtree foi inocentado quando descobriu-se que Kirk tinha sido diagnosticado como tendo um sério problema cardíaco antes da luta. No entanto, Crabtree sentiu-se culpado pela morte de seu adversário e amigo, e abandonou a luta profissional. Antes da luta, Kirk disse aos seus amigos:
– “Se tenho que morrer, quero que seja sobre o ringue”.. Choque

26. Por imitação.

Em 1991, uma mulher tailandesa de 57 anos chamada Yooket Paen estava caminhando por sua fazenda quando escorregou em um monte de bosta de vaca, se agarrou em um fio da cerca viva (que mantinha o gado confinado) e foi eletrocutada até a morte. Dias depois de seu funeral, sua irmã estava mostrando aos vizinhos como tinha sido o acidente quando ela também escorregou agarrou o mesmo cabo, e morreu igual a sua irmã. Ovelha

27. Por uma ovelha.

Em 1999, uma mulher inglesa de 67 anos, Betty Stoobs, levava um pacote de feno na parte detrás de sua motocicleta para alimentar suas ovelhas. Aparentemente, as ovelhas estavam muito famintas e quarenta delas avançaram sobre o feno e atiraram Stoobs num barranco. A mulher sobreviveu à queda, mas morreu quando a moto caiu em cima dela, empurrada também pelas ovelhas. Colar

28. Por bomba em colar.

Na tarde de 28 de agosto do 2003, o entregador de pizzas Brian Wells tentou roubar um banco com uma pistola. Quando foi detido pela polícia, Wells revelou que tinha sido forçado a cometer o delito por umas pessoas que ele tinha acabado de entregar uma pizza e colocaram nele um colar com um explosivo localizado na nuca. De fato, a bomba explodiu antes de que o esquadrão anti-bombas pudesse desarmá-la. Até hoje em dia, não está claro se Wells foi uma vítima ou um ladrão solitário. Steve Irwin

29. Por uma arraia.

Em 2006, Steve Irwin um naturalista australiano especialista em animais selvagens e protagonista do programa O Caçador de Crocodilos, morreu após ser atingido fatalmente por um aguilhão de arraia que lhe atravessou o coração enquanto filmava um documentário. Guarda roupa

30. No guarda-roupa.

Mariesa Weber foi denunciada como desaparecida por sua família durante quase duas semanas antes de que a encontrassem em seu quarto, dentro do guarda-roupa denunciada pelo mal cheiro.
– “Dormi em sua casa durante 11 dias, procurando-a, e todo este tempo ela estava em seu quarto”. – Disse sua mãe Connie Weber ao jornal St. Petersbu

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: