Continuando o nojent, Certeza…

Sei que a maioria já deve ter lido isso, mas aí vai…

Tipos de merda

1- FANTASMA : Você sente sair, vê o bicho no papel, mas não tem nada na privada;
2- CLEAN : Você sente sair, o bicho tá lá na privada, mas o papel tá limpinho;
3- MOLHADINHO: Depois de limpar a bunda umas 50 vezes ainda parece que não tá limpo, então você embola papel higiênico entre o rabo e a cueca prá não borrar;
4- GOSTINHO DE QUERO MAIS: Acabou de puxar a descarga, já puxou as calças até o joelho e de repente tem que começar tudo de novo;
5- HEMORRAGIA CEREBRAL:Aquele que requer tanta força que você fica todo roxo e quase tem um derrame;
6- ESPIGA DE MILHO: O classico, Auto explicativo;
7- TORPEDO: Tão grande que dá medo de puxar a descarga sem antes quebrar no meio com o cabo de uma escova de dentes;
8- ALCÓLICO ANÔNIMO: Aquele feito na manhã seguinte a uma noite de bebedeira. Deixa uma marca longitudinal na porcelana após puxada a descarga.
9- CHAMA O ENCANADOR: Tão grande que entope o vaso e a água transborda, você deveria ter seguido a dica do “TORPEDO”
10- CABELUDO: Aquele que você encontra na privada dois dias depois de expelido, quando a descarga não funciona, naquela altura inchado até ficar da grossura do seu antebraço;
11- EMBORA EU QUEIRA: Quando você fica sentado com uma p*** dor de barriga mas só peidando, particularmente frustrante em banheiros públicos;
12- CAMINHÃO BASCULANTE: Sai tão rápido que mal dá tempo de sentar;
13- AÉROGRAFO: Versão diarréia do “CAMINHÃO BASCULANTE” antes mesmo de você sentar BUM! Uma carga explosiva recobre todo o interior do vaso de uma camada mais ou menos uniforme de respingos. A água continua limpinha;
14- IÔ-IÔ: Aquela que requer uma força enorme para sair, e assim, que ela bota a cabecinha pra fora, você relaxa os músculos do abdomen e ela volta pra dentro;
15- EFEITO ILHA: Uma massa marrom e disforme saindo pra fora da água;
16- HÉRNIA DE DISCO: Variante do “HEMORRAGIA” requer tanta força que você acha que tá saindo pelo lado;
17- ACHO QUE ESTOU PARINDO PELO CÚ: Um cruzamento de “TORPEDO” com ” HÉRNIA DE DISCO”, o produto assemelha-se em tamanho e formato a uma lata de batatinhas Pringle´s, depois que sai sobra um espaço vazio no reto;
18- RABO DE MACACO: Não pára de sair, tipo pasta de dente, você tem duas escolhas: ou ir puxando a descarga e continuar mandando brasa , ou , arriscar-se a ver o bicho ir empilhando até chegar na sua bunda;
19- ACHO QUE ESTOU VIRANDO UM COELHINHO: Um monte de cocozinhos redondos que parecem bolinhas de gude e que fazem barulhinho ao cair na água;
20- ELEVADOR: Desce de uma vez. movimento retilíneo uniforme;
21- TARZAN: Só sai com o auxílio vocal;
22- PROMETO MASTIGAR MINHA COMIDA MELHOR: Quando o pacote de Doritos da noite passada, parece vidro moído ao descer;
23- MORREU UM BICHO AQUI DENTRO: Também conhecido como Lixo Tóxico, é claro que você não avisa ninguém do odor do infecto. Em vez disso, você fica disfarçadamente perto da porta do banheiro fazendo força pra não dar risada enquanto as pessoas saem
correndo e engasgando ali dentro;
24- AINDA TEM UM PENDURADO: Tem de esperar pacientemente o último pedaço cair, porque se você tentar limpar agora vai borrar tudo;
25- LANÇA-CHAMAS: Chamusca os pelinhos, faz você jurar nunca mais chegar perto de acarajé;
26- TONER: A única prova material de todo seu esforço é um ligeiro escurecimento da água;
27- PRIMOGÊNITO: Tão perfeito, marrom e saudável que dá pena de puxar a descarga;
28- CADE O NENEZINHO LINDU?: Poderia muito bem ser um “PRIMOGÊNITO”, mas se esconde no vão da privada antes que você possa apreciar…..

Tutorial sobre
Como cagar sem molhar a bunda:

Acredito que, ao cagar, a maioria de vocês já tenha molhado a bunda na água
fétida que o cagalhão levanta ao cair na água do vaso. Todos, ainda que
intuitivamente, já devem ter feito uso de alguma técnica para evitar o
“efeito tchbum”.

Técnica 1 – Posicionar o briôco o mais próximo possível da tábua, deixando
o saco (caso você tenha) esmagado sobre a mesma. Assim, a barrola fedorenta
desce rolando pela louça. Com a queda amortecida, o senegalês mal-cheiroso
não causa o “efeito tchbum”.

Problemas:

a) A m**** deixa um rastro na louça (tal técnica consiste em, literalmente,
“jogar um barro na louça”). Sobre o ponto de vista estético, *Mal Educado*! Além
do mais não é o macho da casa que vai limpar a barrolinha (no máximo, dá pra
tentar desfazer a trilha pastosa com jatos de mijo de alta pressão). Mas
aquele filete marrom pode vir a feder mais tarde. E, no caso de jogar um
barro na casa da namorada ou dos sogros, pode pegar mal se alguém entrar
depois de você.

Se a pontaria for mal calculada, o tolhetão pode raspar na tábua e cagar
a p**** toda. Neste caso, é de bom grado limpar depois de terminado o
serviço. Até porque na barreada seguinte, o cagão corre o risco de esquecer
e sujar o saco na própria m**** que lá ficara, o que seria, convenhamos,
bastante desagradável.
===========================================================
Técnica 2 – Criar um tapete flutuante de papel higiênico. Conhecida como
“efeito hovercraft”, essa técnica parte do pressuposto que a m**** será
amortecida ao bater no tapete de papel evitando o “efeito tchubum”.

Problemas:

Errar na quantidade de papel para menos. Neste caso, a água vai bater na
bunda de qualquer forma.

Errar na quantidade de papel para mais. Neste caso, a privada entope e o
cagante passa pela constrangedora experiência de ter de fugir da água com
m**** que sobe ameaçadora e lentamente privada acima. Pior: na ponta dos pés
e segurando a calça pra não cair ainda por cima.
===========================================================
Técnica 3 – Conhecida como “cag and run”. Consiste em cagar no meio da
privada e tirar a bunda rapidamente antes que o chafariz barrento atinja a
raba. Tal técnica exige reflexo, explosão muscular e uma coordenação motora
pelo menos razoáveis.

Problemas:

Arrancar lentamente. Neste caso, tudo vai por água abaixo (ou acima, no
caso) e o furíco é atingido pela água podre de qualquer jeito.

Arrancar rapidamente demais. Neste caso, corre-se o risco de tirar o c* da
reta antes de a m**** se desprender da flor de oríba. Resultado: cocô na
tábua, no chão do banheiro ou, pior, dentro da cueca do cagão. Além disso, o
cagante pode ser enganado pelo cocô do tipo “dois estágios”. Neste caso, o
cagante pensa que se livrou do charutão e, sem nada poder fazer, vê uma
badalhoca cair dentro da cueca.

Aqui tem mais.. 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: